(41) 3402-5235 | (41) 3618-0043 | (41) 9 9162-1330 | (41) 9 8875-2642 | (41) 3074-7482 clinicafagundes@gmail.com

Respirar bem. Pode parecer algo simples, mas para 20% da população brasileira essa é uma realidade distante. Os dados são da Academia Brasileira de Rinologia e a causa mais comum do desconforto nas vias aéreas é o desvio de septo nasal.  A partir da correção do septo, o paciente livra-se de queixas como sinusite, ronco, apneia, congestão nasal, dificuldade em sentir cheiros e sabores, além do baixo desempenho em atividades físicas.

“O chamado septo nasal é uma barreira ósteo-cartilaginosa, coberta por uma mucosa, localizada na linha média do nariz, separando as fossas nasais verticalmente. O septo é fundamental para as funções do nariz e dos seios paranasais”, explica a Dra. Marina Fagundes, otorrinolaringologista e especialista em cirurgia facial.

Mas nem sempre o fato de ter o desvio de septo causa desconforto ao paciente. Para se submeter a um procedimento cirúrgico o médico vai avaliar a área do desvio, seu grau de severidade, se causa obstrução nasal, se há crises de rinossinusites, favorecendo a respiração pela boca, entre outros sintomas. Quem pode dizer se o paciente tem indicação para realizar a septoplastia, que é a cirurgia que corrige o desvio do septo, é um médico especializado em otorrinolaringologia.

A septoplastia é realizada em ambiente hospitalar com alta geralmente no mesmo dia. Sua duração varia conforme a complexidade do caso. O procedimento não deixa cicatrizes aparentes, uma vez que suas incisões são realizadas dentro das narinas. Essa cirurgia pode também ser associada a outros procedimentos, como a redução dos cornetos nasais, abordagem nos seis da face ou até mesmo a rinoplastia, que modifica a forma externa do nariz.

Para se submeter à septoplastia o paciente passa por exames de saúde laboratoriais e cardiológicos, além de uma consulta prévia com anestesista.